top of page
Buscar
  • Foto do escritorMariana Branco

Navegando pela Dificuldades no Trabalho e Depressão: Um Olhar Psicológico

Em meio às complexidades do ambiente profissional, muitos de nós enfrentam desafios que vão além das tarefas diárias. A conexão entre a incapacidade no trabalho e a depressão é uma realidade que merece nossa atenção e compreensão. Exploraremos as nuances desse cenário, oferecendo insights valiosos do ponto de vista psicológico.



Em meio às complexidades do ambiente profissional, muitos de nós enfrentam desafios que vão além das tarefas diárias. A conexão entre a incapacidade no trabalho e a depressão é uma realidade que merece nossa atenção e compreensão. Exploraremos as nuances desse cenário, oferecendo insights valiosos do ponto de vista psicológico.

 

Entendendo a Incapacidade no Trabalho:

A incapacidade no ambiente de trabalho pode se apresentar de variadas maneiras, abrangendo desde desafios mentais até obstáculos emocionais. Muitas vezes, é um sintoma da pressão constante e das demandas excessivas impostas pelo ambiente profissional que tem sido cada vez maiores no ambiente de trabalho tem levado esses trabalhadores para um cenário de desequilíbrio e descontentamento.  O afastamento acaba sendo um dos caminhos percorridos, mas nem sempre são aceitos pelo profissional de uma maneira tranquilizadora. A apreensão pela demissão e por não estar realizando um trabalho de boa qualidade pode estar embutida na preocupação desses trabalhadores ( SILVA, G 2021) que compartilham silenciosamente seus medos e aflições.  A sensação de não conseguir atender às expectativas, as cobranças excessivas e  a falta de humanização nesses ambientes de trabalhos    podem criar um ciclo prejudicial que afeta não apenas o desempenho no trabalho, mas também a saúde mental. As pessoas não reagem as situações e sintomas da mesma forma (SILVA G, 2021) e isso pode confundir ou banalizar esse entendimento sobre a real percepção sobre o estado mental que o trabalhador se encontra.

Uma faceta da  depressão pode ser entendida por (JARDIM, 2021)  de que  houve um cenário de perdas e ameaças, seja no contexto do trabalho ou de contexto social, e  isso pode afetar a identidade psíquica do indivíduo.

Em seu estudo sobre a loucura do trabalho ( DEJOURS, 1992)   o autor mostra como essa organização do trabalho gera sofrimento, alienação, desqualificação e adoecimento dos trabalhadores, que perdem o sentido e o controle do seu trabalho.

 

A Dança Complexa com a Depressão:

A depressão, por sua vez, é uma batalha interna que pode se infiltrar de maneira oculta na vida cotidiana. Quando combinada com a incapacidade no trabalho, essa condição pode amplificar os desafios emocionais, criando uma teia complexa de fatores que afetam diretamente a qualidade de vida. A falta de compreensão e empatia no ambiente de trabalho muitas vezes agrava a situação, tornando essencial a busca de ajuda especializada.

 

O Papel da Psicologia:

Os profissionais de psicologia desempenham um papel crucial na identificação e tratamento dessas questões. Ao criar um ambiente seguro para a expressão das emoções, os psicólogos ajudam os indivíduos a entenderem e gerenciarem suas dificuldades. Estratégias personalizadas são desenvolvidas para abordar não apenas os sintomas, mas também as causas encobertas da incapacidade no trabalho e da depressão.

As empresas precisam cuidar da saúde de seus funcionários desde o início, não só consertando o ambiente de trabalho, mas também repensando como gerenciam a saúde dos trabalhadores. Isso é importante porque investir em práticas que mantenham todos saudáveis é mais econômico do que lidar com problemas mentais depois. Dessa forma, as empresas mostram que se importam com a saúde física e mental de seus funcionários (Silva, G 2021).

 A psicologia desempenha um papel vital na promoção da saúde mental no ambiente profissional, oferecendo ferramentas e estratégias para lidar com essas complexidades. Ao trazer luz a esses temas, podemos trabalhar coletivamente para criar ambientes de trabalho mais compassivos e resilientes.

 

Qual o meu comprometimento nesse processo?

Entendemos que a incapacidade no trabalho, muitas vezes, é como uma tempestade que nos leva a caminhos inesperados e turbulentos. No entanto, nem sempre esse caminho é visto com facilidade por quem ultrapassa,  silenciosamente os medos e aflições podem estar embutidos na apreensão pela demissão e na busca incessante pela excelência.

Ao vivenciarmos a dança complexa com a depressão, reconhecemos que essa batalha interna pode se infiltrar ocultamente na vida cotidiana, especialmente quando combinada com a incapacidade no trabalho. A falta de compreensão e empatia no ambiente profissional agravam essa situação, destacando a grande importância da busca por ajuda especializada.

Na busca por soluções, os profissionais desempenham um papel fundamental. Criando um ambiente seguro para a expressão das emoções, eles ajudam os indivíduos a entenderem e gerenciarem suas dificuldades, desenvolvendo estratégias personalizadas que abordam tanto os sintomas quanto as causas encobertas da incapacidade no trabalho e da depressão.

Neste contexto desafiador, onde equilibrar trabalho e saúde mental é uma jornada complexa, torna-se essencial reconhecer e abordar a conexão entre a incapacidade no trabalho e a depressão.

Assim, a busca por um tratamento pode ser um caminho oferecendo ferramentas e estratégias para lidar com as complexidades desse percurso. Juntos, podemos criar ambientes de trabalho mais compassivos e resilientes, onde a saúde física e mental de cada indivíduo é valorizada. Nessa jornada, navegamos não apenas como colegas, mas como uma comunidade comprometida com o bem-estar de todos.

 

Boa jornada rumo à saúde mental.

Um grande abraço,

Mariana Branco

Psicóloga Clínica e Hospitalar

CRP: 06/118246

 

DEJOURS, C. Um suicídio no trabalho é uma mensagem brutal: depoimento. [01 de fevereiro, 2010]. Entrevistador: Ana Gerschenfeld. Lisboa: Público. Disponível em : . Acesso em: 10 fev. 2010.

JARDIM, S. Depressão e trabalho: ruptura de laço social. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 36, n. 123, p. 7-17, jun. 2011. Disponível em: 1. Acesso em: 15 dez. 2021.

SILVA, G. G. J.; SOUZA, M. L. P.; GOULART JÚNIOR, E.; CANÊO, L. C.; LUNARDELLI, M. C. F. Considerações sobre o transtorno depressivo no trabalho. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 34, n. 119, p. 7-17, jun. 2009. Disponível em: 1. Acesso em: 15 dez. 2021.

8 visualizações

ความคิดเห็น


bottom of page